Nuvenus Chovendus – Desafio de SEO

Saiba tudo sobre o desafio de SEO, Nuvenus Chovendus, que acontece todo final do ano, realizado pela empresa Mestre SEO, para todos os profissionais de SEO e interessados no assunto.
O desafio deste ano teve inicio no dia 07 de dezembro, onde foi divulgado um post no site da empresa com o termo e o significado deste ano.

Veja como funciona o desafio de SEO:

O desafio é simples, nele os participantes disputam o primeiro lugar na palavra-chave “Nuvenus Chovendus”. O significado da palavra deste ano é um aplicativo para iPad, que faz a previsão do tempo no próprio aparelho usando tecnologia de realidade aumentada. Basta apontar o aparelho para o céu e ele mostra o resultado preciso para até os próximos 5 dias.
É claro que o aplicativo é falso, foi criado apenas para o desafio.

Participe você também:

Para participar basta criar uma página ou site falando sobre o falso aplicativo, usando a palavra-chave “Nuvenus Chovendus”. O desafio termina o dia 14 de janeiro então ainda tem tempo de você participar.

Para você que está aprendendo SEO:

O desafio deste ano está bastante concorrido e bons profissionais estão participando com sites muito bem otimizados e estratégias muito boas de link building. Para você que está começando agora é uma oportunidade boa de fazer alguns testes e também fazer uma analise dos sites participantes, como, backlinks, optimização on-page, etc. Então aproveite!
Boa sorte a todos!

Colocar ou não links de autor num site?

Eu andava a ler os feeds que tenho para aqui atrasados quando me deparei com um do Joost de Valk no seu blog Yoast.

O texto é sobre se devemos ou não colocar o link do autor em sites que criamos. Segundo ele se o cliente não obtém nenhum desconto por colocarmos o link então devemos retira-lo. Ele faz mesmo a analogia de quem quem faz uma casa também não deixa um cartaz a dizer que a fez. Para ele muitos dos clientes não se importam com o link porque não sabem o seu valor real e acabam por ser “enganados”.

No meu caso não costumo colocar link apenas em casos que o cliente diz “foste tu que fizeste deves colocar o teu link de autor” ou assim parecido. Posso eventualmente pedir autorização para inserir o trabalho no meu portefólio mas ai o link será de mim para o cliente e não o contrário.

O autor do blogue que referi diz também que não é contra os links, apenas diz que eles devem ser discutidos com o cliente e ele deve ser informado do seu valor. Se apresentamos uma proposta ao cliente sem o link e depois o colocarmos então o comprador está no direito de o retirar ou pedir ou desconto.

Eu concordo com o Joost de Valk. O cliente deve ser informado e consultado sobre a existência ou não do link.

O que acham? Gostava de ouvir a vossa opinião.

Google Instant

O Google apresentou hoje uma novidade na pesquisa que pode trazer algumas mudanças a como as coisas funcionam.

O Google Instant mostra os resultados das pesquisas enquanto as escrevemos sem necessidade de clicar em pesquisar ou carregar no enter.

Actualmente existem as sugestões que aparecem quando estamos a escrever o termo que pretendemos pesquisar só que agora o Google vai tentar adivinhar o que queremos procurar e vai-nos dar o resultado dessa pesquisa. Se por acaso a previsão do Google estiver mal quando mudarmos a palavra chave os resultados da busca também vão mudar de forma automática.

Mas o melhor é verem o vídeo para compreenderem melhor:

Segundo o Google existem várias vantagens na utilização deste sistema:

Pesquisas mais rápidas: O Google estima que em cada pesquisa se poupe entre 2 a 5 segundos.

Previsões mais inteligentes: Mesmo que não saibamos exactamente como se escreve o que procuramos, a sugestão que vai aparecer dá-nos uma ajuda.

Resultados instantâneos: Enquanto estamos a escrever a palavra chave já nos aparecem os resultados. Antes tínhamos de escrever o termo completo e carregar em pesquisar. Agora é tudo instantâneo.

Como é normal isto vai sendo implementado nas diferentes línguas disponíveis. Se fizerem uma pesquisa no google.com já vão conseguir ver o sistema em acção.

Que mudanças acham que esta inovação pode trazer?

Lista para verificar os textos, testar antes de publicar

Se bem se lembram em Maio eu queria subir a qualidade dos textos publicados no Webvicio, não só em termos de qualidade para os leitores mas também mais optimização para os motores de busca.

Nesse sentido li com particular interesse uma publicação do Daniel Scocco, autor do DailyBlogTips.com em que ele falava da lista de coisas que se devem verificar antes de publicar um texto.

Como podem ver pela imagem a lista inclui 12 tarefas que se devem fazer antes de publicar um texto. Embora algumas sejam mais importantes do que outras, todas elas acabam por ter a sua importância e por dar mais qualidade aos conteúdos.

Verificar antes de publicar

Já me aconteceu algumas vezes, publicar o texto e reparar logo de seguida num erro que o mesmo tinha, ou então ser mesmo um dos visitantes a ler e a detectar o erro. Se for um visitante regular que sabe qual é a qualidade dos textos ao reparar no erro sabe que foi por acaso mas um visitante que chega pela primeira vez ao blogue e repara nos erros pode sair e nunca mais volta. Num mundo com bastante competição todos os erros fazem com que se perca visitantes.

Para quem estiver interessado podem fazer download do ficheiro em pdf para imprimirem e para quem gosta mais de trabalhar com as coisas em papel puder usar na mesma a lista. Download: Verificar antes de publicar.

1. Li o texto depois de o escrever?

Este é possivelmente o item da lista mais básico. Todos nós sabemos que depois de escrever o texto o devemos ler para corrigir erros ortográficos, frases mal escritas ou então adicionar algum ponto que nos tenhamos esquecido.

2. Está devidamente completo?

Será que abordamos todos os aspectos importantes relacionados com o tema do que escrevemos? Quando abordamos um programa de afiliados por exemplo também devemos abordar os aspectos menos negativos e não apenas os positivos. Ao lermos o texto podemos acabar por descobrir alguns pormenores que nos faltaram abordar e alguns aspectos que estão algo incompletos e que devemos melhorar.

3. Fiz a pesquisa das keywords relacionadas?

Não nos podemos esquecer dos motores de busca e dos visitantes que os mesmos trazem. Podemos usar o Google Adwords Keyword Tool para verificar que palavras chave têm mais pesquisas. Se colocar-mos lá a palavra chave “ganhar dinheiro” vamos receber uma lista com dezenas de pesquisas com palavras chave relacionadas. Algumas das palavras chave têm milhões de pesquisas enquanto outros têm poucas dezenas. Quanto mais pesquisas uma palavra chave tiver mais visitantes podemos receber ou então podemos optar por optimizar para pesquisas com menos visitantes mas também menos concorrência.

4. O título chama a atenção?

O título poder ser muito importante num texto e quanto mais chamativo for mais visitantes vai atrair. Comparando por exemplo os títulos, “Como triunfar” ou “Aprender a triunfar como o Mourinho“, o segundo texto vai obter mais atenção dos visitantes.

É preciso também ter em atenção dois aspectos relacionados com o título. Em primeiro lugar devemos criar um título interessante mas que esteja relacionado com o conteúdo e por outro lado o título tem um bom peso nos rankings logo devemos tentar incluir as palavras chave no título.

5. Li novamente o texto?

Este tópico já foi abordado acima mas uma nova leitura pode ser positiva. Se estiverem a ler um texto em word tal como o escreveram mesmo com várias leituras podem nunca detectar os erros mas basta mudar o tipo de letra para que vejamos o texto de forma diferente e detectemos os erros.

6. Linkei para textos antigos?

Para além de melhorar a optimização para os motores de busca, vai também dar aos visitantes mais informações que podem ler.

7. Coloquei links externos?

Por exemplo neste texto abordei o Google Adwords Keyword Tool e coloquei um link para a ferramenta. Se não o fizesse os visitantes podiam nunca descobrir a ferramenta ou ter de a procurar no Google. Com isto melhorei a experiência que os visitantes têm no site e existem maiores probabilidades de eles se manterem no blogue.

8. Verifiquei se os links funcionam?

De nada vale colocar um link se o mesmo não funciona. Basta esquecermo-nos de uma letra para que o link não funcione. É importante testar todos os links antes de publicar o texto.

9. Dei créditos às fontes?

Se usamos um texto como base para o nosso artigo devemos dar os créditos ao autor. Neste texto apenas os títulos são traduzidos, tudo o resto foi escrito por mim e da minha cabeça mas como li o texto antes de escrever este é normal que uma ou outra coisa seja parecida. Como tal é perfeitamente natural que eu coloque o link para o texto original.

10. Coloquei uma imagem relacionada?

As imagens dão mais cor a um texto e como se diz “uma imagem vale mil palavras”. Incluir uma imagem no meio do texto torna a leitura mais fácil e menos chata.

11. Coloquei algo que incentive a participação dos visitantes?

Podemos incluir um questionário, o formulário para subscrever as actualizações ou até mesmo uma pergunta para incentivar os comentários. O objectivo é criar uma comunidade à volta do blogue.

12. É um bom dia para o tráfego?

Este item é o que menos concordo na lista. À alguns meses numa conversa num fórum muitos bloggers diziam que em muitas temáticas o sábado era o dia com pior tráfego e que por isso nesse dia não actualizam o blogue ou então publicavam um texto com menos qualidade. Não é a fazer isto que se vai contrariar a tendência de menos tráfego ao sábado. Por ser o dia com menos tráfego é que devemos apostar em conteúdo de qualidade e em iniciativas que façam os visitantes vir ao blogue.

Se repararam “a minha lista” tem menos um item que a lista do Daniel Scocco porque um dos itens na minha opinião deve ser logo feito antes mesmo de começar a escrever o conteúdo. Vou dar assim o número 0 a este item:

0. Verificar os permalinks.

O wordpress permite que se altere os permalinks por defeito e se coloque o título no link. Mas isso nem sempre chega. O título pode ser muito comprido e no permalink interessa apenas que se use as principais keywords e quanto mais curto for melhor.

Para além disto fazem mais alguma verificação antes de publicar um texto?

O texto é uma tradução e adaptação minha do texto: The Blog Post Checklist: Use Before Hitting “Publish”, do blogue do Daniel Scocco.

Melhorar a velocidade de um blogue e testa-la

A velocidade que um site tem é muito importante para manter os visitantes no mesmo. Ninguém quer estar 1 minuto à espera que um site abra. Quando demora assim tanto o que costumamos fazer é sair do mesmo sem sequer vermos o conteúdo. Até o próprio Google usa a velocidade como factor de ranking para as buscas.

Eu uso um plugin que permite aumentar a velocidade do blogue colocando os ficheiros em cache mas isso não é tudo o que podemos fazer. Existem sempre algumas optimizações que podemos acrescentar e uma das coisas que faltava fazer era activar a compressão gzip.

Existem plugins que permitem fazer isso mas eu sempre que possível tento não usar plugins por várias razões. Se existir essa possibilidade, prefiro inserir o código directamente no theme. Para activar a compressão gzip basta inserir no ficheiro index.php o seguinte código:
Logo depois da função de abertura do php (<?php) inserir:

ob_start(“ob_gzhandler”);

Depois no final do ficheiros colocar:

ob_end_flush();

Embora este código seja para ser usado no ficheiro index.php eu obtive melhores resultados usando no ficheiro header.php. Testem e vejam em qual dos dois conseguem melhores resultados. Só o podem usar uma vez.

Depois da compressão activada podem usar o site GTmetrix para testar. Façam um teste antes de activar a compressão, outro depois e vejam a diferença.

O site usa o Google Page Speed e o Yahoo! YSlow para testar o nosso site e apresenta os resultados de 22 testes diferentes. Os resultados são classificados de A a F. Quantos mais A tiverem no vosso site melhor. Podem ver o que está mal e corrigir para aumentar a rapidez do blogue.

Quanto mais rápido estiver melhor será a experiência dos visitantes e maiores serão as probabilidades de eles regressarem e se tornarem visitantes regulares do site.