Gestão de reputação online.

Em conversa com o António Dias do Marketing de Busca ele enviou-me um texto sobre gestão de reputação online em que eu apenas fiz uns pequenos ajustes:

Um juiz na Nova Zelândia proibiu a divulgação online dos nomes dos acusados – ao mesmo tempo que permite que os mesmos nomes sejam publicados na imprensa e citados na radio e na TV. O juiz declarou-se preocupado que alguém possa “googlar os seus nomes” e isso causar um impacto negativo no futuro na vida dos acusados.

À medida que cresce a nossa interacção com a internet vamos deixando marcas da nossa passagem. Se hoje em dia quase vivemos num mundo em que “o que não está na Internet não existe”, a verdade é que nem tudo o que consegue encontrar sobre si em motores de busca é especialmente abonatório – um comentário infeliz ou uma foto mais atrevida nos seus contactos do hi5 podem arruinar a sua reputação e manchar o seu bom nome. Qualquer inclusão é passível de ser procurada e vista posteriormente.

A informação sobre si na Internet funciona quase como um Currículum Vitae e muitos empresas não  dispensam já googlar os candidatos a emprego antes de uma tomada de decisão.  Faça o teste e procure pelo seu nome: o seu currículo no Google agrada-lhe?

Se o que vê não lhe agrada saiba que está ao seu alcance influenciar os resultados. A gestão de reputação nos motores de busca é uma actividade em expansão e personalidades como Kate Moss  recorrem  já aos seus serviços.

O António disponibiliza um ebook gratuito sobre este mesmo assunto o “Guia da Gestão da Reputação Online“.

Quando pesquiso pelo meu nome encontro um outro Nelson Paiva que é dono do nelsonpaiva.com (que eu já tentei comprar) e que é musico. O primeiro resultado meu que encontro está no 7º lugar da pesquisa e é o meu perfil no blogblogs.com.br e não encontrei mais nenhum resultado meu.

O que vocês acham disto? O que encontram quando pesquisam o vosso nome do google?

8 comentários a “Gestão de reputação online.”

  1. Felizmente o meu nome não tem grande presença no Google. Estou a trabalhar num site que o vai por lá de certeza. É por essas e por outras que neste projecto uso um nickname, quero controlar dentro do possível a informação que há sobre mim na net.

  2. Não precisas do .com – tens outros domínios disponiveis. E este: experimenta criar uma página com o teu nome como título e linka-a na homepage do blog (e já agora em todas as páginas): blog do Nelson (para dar um exemplo e verás o site a subir até à segunda ou terceira posição. Se quiseres podes adicionar um curto texto distintivo sobre ti na meta description: Nelson, um _profissao_ em _nome da cidade_.

  3. Web Milionário imaginando que o teu nome estava nos sites que tu fazias o teu nome estava controlado. Só o que tu escrevias é que aparecia associado ao teu nome.

    João Silas pois tendo o blog o teu nome é fácil.

    António eu sei que não preciso do .com apenas referenciei isso porque foi o que me lembrei de ver. Ainda não estudei bem o que queria fazer e por isso ainda não decidi o nome.

  4. Nelson, meu nome aparece em quarto lugar no Google no meu blog pessoal. Eu não vejo nada de ruim nisso, até muito bom… 🙂 Acho que pode promover meu trabalho. Bem que queria estar em primeiro, mas este é de um deputado com mesmo nome. Errgggg. 🙁

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *