Arquivo de etiquetas: matt cutts

Os links nofollow interessam?

O Matt Cutts funcionário do Google responsável pelo combate ao spam responde a uma pergunta sobre se os links nofollow interessam ou são irrelevantes?

Como podem ver pelo que ele diz tudo depende do objectivo. Do ponto de vista de um motor de busca e dos seus rankings não interessam mas ele diz mesmo “But guess what, search engines are not the entire limit of the world” ou seja existe um mundo para lá dos motores de busca.

Mesmo que um link não traga qualquer proveito para os rankings dos motores de busca esse link pode trazer muitos visitantes.

Por exemplo normalmente os links dos comentários feitos em blogues são nofollow e por isso não interessam muito aos motores de busca, mas por outro lado os visitantes desse blogue podem clicar nos links e acabarem por vir parar ao vosso site. Por isso é também importante fazer comentários com qualidade e que façam os visitantes clicarem no nosso link, um simples “muito bom” ou “obrigado” não vão trazer visitantes mas se adicionarem conteúdo ao texto, o comentarem e mostrarem os vossos pontos de vista ai sim podem conseguir visitantes.

Eu não diferencio links dofollow de links nofollow, eu quero ambos. Se um me dá melhores rankings nos motores de busca o outro da-me visitantes o que no fundo acabam os dois por fazer o que eu quero: conseguir aumentar as visitas no Webvicio.

E vocês?

Page Rank Sculpting.

Ainda ontem aqui falei no Matt Cutts e hoje torno a falar nele. Este assunto tem sido bastante discutido na internet. Uns concordam, outros discordam cada um com as suas razões.

Um texto que ele publicou no seu blog chamado “Page Rank Sculpting“está na causa da polémica.

Antes era dito e escrito que se tivessemos uma página com page rank e não quisessemos dar esse page rank a algum link bastava introduzirmos um nofollow nas propriedades do link que o mesmo não era contado. Imaginando que tínhamos um page rank de 2 numa página e que essa página tinha 2 links o “link juice” seria distribuido 50% para cada link.  Se um dos links tivesse um nofollow o “link juice” iria a 100% para o link sem o nofollow.

Mas parece que as coisas mudaram no google à cerca de um ano atrás e o atributo nofollow e os restantes links começaram a ser tratados de uma forma diferente. Voltando ao caso anterior do site com o page rank 2 e com 2 links. Anteriormente como um dos links tinha um nofollow o outro link ficava com 100% do “link juice”. Neste momento o link com nofollow não passa “link juice” mas conta na mesma. Ou seja o link sem o atributo passa só 50% do “link juice” na mesma enquanto os outros 50% são desperdiçados.

Para uma melhor percepção fica uma imagem retirada do site Seomoz.org.

new-pagerank-and-nofollow3Agora para pudermos praticar o link sculpting (nome dado a esta técnica de passar o link juice do page rank apenas aos sites que queremos)  temos de usar uma técnica diferente. Não é so atribui um nofollow que diz aos bots do google para não ligarem ao link. Agora temos mesmo de esconder o link dos bots de modo a que eles não saibam que ele lá está.

Para isso podemos usar alguns métodos como inserir um iframe e bloquar o acesso através do robots.txt, Fazer um redirecionamento através de javascript e bloquear o acesso dos robos, inserir o link em java ou noutro método que não seja analisado pelos motores de busca.

Eu usava o nofollow em alguns casos. Não por causa do page rank porque estive muito tempo sem ele era mais para controlar os links de saida. Vou continuar a fazê-lo da mesma maneira.

Usando o nofollow pode signifcar perder algum “link juice” mas continua a impedir que sejamos penalizados por linkar para sites menos impróprios.

Como vão fazer agora?

Um vídeo com muitas dicas dadas pelo Matt Cutts.

Quem anda na blogosfera com certeza conhece o nome Matt Cuts. Ele trabalha no google desde 2000 e actualmente está à frente da equipa de combate ao spam do google.

Foi ele que criou a primeira versão do SafeSearch o filtro familiar do Google. Muitos garantem que o que ele diz é para ser levado a sério como se fosse uma regra.

Eu não sei se é para ser levado assim tão a sério mas deve dar-se atenção ao que ele diz mais que não seja porque trabalho no google e sabe o que lá se passa.

Neste vídeo podemos ver o Matt Cutts a analisar alguns sites o que têm de bom e o que têm de mal, a falar sobre a indexação do google, redirecionamentos, page rank, links,  dicas para um bom posicionamento, spam e mais alguns assuntos relacionados.

O vídeo tem mais de 1 hora mas vale bem o tempo. Aprendemos algumas dicas e um pouco sobre o comportamento dos bots do google e com isso melhorar os nossos sites.

O que acham do vídeo?